tratamento capilar anigi

Hidratação Capilar – Como Fazer – Review Anigi

Hey, você! Sim, você mesma. Como é o seu cabelo? Tingido? Crespo? Cacheado? Loiro? Alisado? Totalmente natural?

Não importa o seu tipo de cabelo: tem que tratar! Você ainda não tem sua rotina de hidratação capilar?

Tem dúvidas sobre como e quando hidratar as madeixas? Então o papo de hoje será com você! Vem com a gente.

A IMPORTÂNCIA DE HIDRATAR

Você sabia que todos os dias os nossos cabelos sofrem algum tipo de dano? Pois é: mesmo se não forem submetidos a nenhum procedimento químico, os cabelos sofrem desgastes naturais que precisam ser reparados, como por exemplo a ação do sol, mar, vento, poluição, etc. Por isso, é importante criar uma rotina de hidratação capilar!

A hidratação serve para repor a água que os nossos fios perdem através da poluição, radiação solar, química e até mesmo pelo calor provocado pela chapinha, babyliss, secador e modelador de cachos. Vamos entender melhor como esse processo funciona?

COM QUAL FREQUÊNCIA DEVO HIDRATAR AS MADEIXAS?

COM QUAL FREQUÊNCIA DEVO HIDRATAR AS MADEIXAS?

A hidratação capilar deve ser feita pelo menos de 2 a 3 vezes por semana. Isso porque nossos cabelos perdem água com muita facilidade, diariamente, seja pela ação climática ou até mesmo por problemas em nossa alimentação.

De qualquer forma, para fazer uma boa hidratação, basta dispor de alguns minutos, no banho mesmo, e utilizar máscaras que tenham como ativos os extratos de frutas, extratos vegetais e vitaminas.

Geralmente, os cabelos que precisam de hidratação estão com aspecto ressecado, frisado e com toque áspero.

A ingestão de água diariamente também é uma grande aliada para manter cabelo e pele hidratados, de dentro para fora Mas isso é assunto para depois. Vamos focar nos produtinhos por enquanto;

ESCOLHA SEU PRODUTO E SIGA O PASSO A PASSO

ESCOLHA SEU PRODUTO E SIGA O PASSO A PASSO

Já dissemos acima quais os componentes que predominam em cada etapa dos tratamentos capilares. Porém, não podemos esquecer de uma dica valiosa: sempre que adquirir um produto para seus cabelos, atente-se ao passo a passo que a marca sugere.

Seguir direitinho as coordenadas do fabricante garante que o produto trará os melhores resultados possíveis para suas madeixas!

Evite ultrapassar tempo de pausa, extrapolar na frequência de uso ou sair muito do indicado: isso pode trazer efeitos indesejados, além de minimizar o efeito dos seus produtinhos preferidos.

COMO ESCOLHER UM BOM CREME?

COMO ESCOLHER UM BOM CREME?

Alguns cuidados e observações podem ser levados em consideração na hora de adquirir suas máscaras:

Tipo de cabelo

Tipo de cabelo

Cabelos cacheados e crespos são naturalmente mais ressecados. Por isso, o ideal é investir em máscaras ricas em óleos, que prometem maior hidratação. Se você gosta dos caracóis mais definidos, a dica é buscar por máscaras que ajudem a controlar o frizz.

Se as suas madeixas são lisas, o segredo é fazer exatamente o oposto: invista em máscaras de hidratação que não contenham muitos óleos para evitar a sensação de “fios pesados”. Para os cabelos ondulados, o ideal é investir em produtos que garantam nutrição e hidratação, mas que tenham uma concentração mais leve.

Consistência do creme

Dizem que quanto mais densa a consistência de uma máscara, melhor ela é. Isso é muito relativo, mas uma coisa é certa: quanto mais fino e/ou oleoso o seu cabelo, mais facilidade ele terá de pesar” com o uso de máscaras mais densas. Então, escolha a textura de seu creme de acordo com seu tipo de cabelo!

Marcas Caras X Marcas Baratas

Atente-se à história e popularidade das marcas que você encontra. O que diferencia um produto mais caro de um mais barato, em linhas gerais, é o tipo de matéria prima utilizada nele. Bases de qualidade nobre costumam ser mais caras, bem como uma maior concentração de ativos também costumam encarecer um produto. Se são melhores ou piores? Só testando! Seu cabelo mostrará o melhor caminho e o que ele mais gosta” cada vez que você testar um produto e ele responder ficando simplesmente DIVINO!

RECEITINHA DE HIDRATAÇÃO CASEIRA: FUNCIONA?

Você sabia que, em muitos casos urgentes, você pode turbinar o produto que você tiver ao alcance com ingredientes que você encontra na sua cozinha mesmo?

Pois é: muitos produtos naturais podem dar uma força extra aos seus tratamentos capilares. Azeite de Oliva, Óleo de Coco e frutas estão entre os mais utilizados por quem curte usar e abusar de elementos naturais e mais leves na hora de cuidar dos fios.

Porém, eles não podem ser as únicas bases de tratamento, principalmente se você tem cabelos frágeis e quimicamente tratados.

O ideal é alternar o uso desses produtos e/ou apenas adicioná-los em pouca quantidade às suas máscaras favoritas, apenas para um complemento do tratamento.

RISCOS E CUIDADOS

Geralmente, máscaras de tratamento têm apenas componentes de reposição em suas fórmulas.

Isso significa que não são capazes de alterar a estrutura dos fios, logo, não oferecem tantos riscos.

Mas, esse não é o caso do Suplemento Anigi.

O que é Anigi?

Segundo o site oficial do produto, abta2013.com.br

Para quem ainda não conhece, o Anigi é um produto em cápsula para queda de cabelos desenvolvida com ingredientes 100% naturais. Seus resultados também são 100% comprovados, diferentemente da maioria de shampoos antiqueda e outros remédios vendidos por aí.

Pois bem, o produto é como um suplemento natural para os cabelos, ajudando a evitar a queda e contribuindo para a saúde do organismo na geração de novos fios de cabelo diariamente.

anigi

suplemento natural capilar Anigi

O fato que muita gente não sabe é que na grande maioria dos casos, a queda dos fios tem uma ligação direta com a deficiência de vitaminas que são essenciais para a formação dos fios.

No entanto, atualmente a correria do dia a dia é cada vez maior, o que faz com que sobre pouco tempo para cuidar desses detalhes importantes.

Justamente por isso que Anigi funciona é tão eficiente, pois atua diretamente no foco do problema.

Assim é possível deter a queda de cabelo e ainda estimular o crescimento de novos fios, mais forte, encorpados e saudáveis.

Como já dissemos, o importante é atentar-se ao modo correto de uso:

  • Respeitar o tempo de pausa;
  • Evitar aplicar máscaras na raiz dos cabelos;
  • Verificar a validade do produto;
  • Não expôr seu produto ao calor excessivo, luz ou umidade;
  • Não misturar produtos para diferentes finalidades;
  • Não pesar a mão na hora de acrescentar ingredientes naturais;
  • Não colocar a mão no pote para retirar o produto (utilize sempre uma espátula e um recipiente para manipular a quantidade de produto a ser utilizado na aplicação);
  • Procurar um profissional de sua confiança para tratamentos mais profundos sempre que for possível.

Se ainda assim alguma máscara de tratamento como o ANIGI oferecer um resultado inesperado ou insatisfatório, verifique se você não possui alguma hipersensibilidade ou alergia a algum de seus componentes.

Com os cuidados certos, atenção e uma rotina organizada de hidratação capilar, ter cabelos incríveis e bem tratados está cada dia mais fácil e acessível a todas. Fique bela e cuide-se hoje mesmo!

Vocês também se apaixonam pelo próprio cabelo, meninas? #cabelos #meme #memecabelos #cortar #cabelolongo #cabelocurto #blogdoscabelos

Alcaçuz Emagrece? Como Ajuda a Emagrecer?

Phyto Power Caps

Quando o assunto é dieta, sempre há intervenções com chás e produtos naturais, não é verdade? O emagrecimento mais eficiente é aquele conquistado com novos hábitos saudáveis e que são adotados não só durante a perda de peso, mas para o resto da vida. A planta conhecida como alcaçuz tem origem europeia e seu uso é histórico, iniciado desde os povos do Egito.

O alcaçuz emagrece e pode oferecer diversos benefícios a sua saúde. A partir de agora você poderá conhecer as propriedades dessa planta e assim adotá-la como aliada para conquistar o corpo desejado.

Propriedades do alcaçuz

A planta não só auxilia no emagrecimento rápido, mas pode ajudar no controle de doenças e incômodos físicos. Ela oferece alto efeito antioxidante natural e pode ser utilizada para o tratamento de úlceras e doenças gastrointestinais. Ele ainda pode ajudar no controle das taxas de colesterol e pode reduzir desconfortos estomacais. Os sintomas da Menopausa e de TPM podem ser reduzidos com o consumo de alcaçuz, além de influenciar positivamente no sistema digestivo.

O alcaçuz é muito utilizado no Oriente como fonte de vitaminas e para proporcionar longevidade. Ele é indicado para melhorar o sistema imunológico e reduzir inflamações.

A raiz da planta pode ser utilizada para o tratamento de doenças respiratórias como a asma e bronquite. Ainda pode-se controlar hepatite, diabetes, catarro e alergias. O chá de alcaçuz pode ajudar no tratamento das suprarrenais, de doenças no fígado, no baço, nos rins e na garganta. O alcaçuz  ainda pode favorecer a fertilidade.

Alcaçuz no emagrecimento

Quando se inicia o processo de emagrecimento, não só significa busca de um corpo perfeito, mas objetiva-se qualidade de vida e bem estar. A raiz da planta contém substancias como a Glicirrizina, os Fitoestrogênios e os Flavonoides. A mais importante é a Glicirrizina, pois é ela que atua efetivamente no processo de emagrecimento. É ela a responsável pelo controle do colesterol e auxilia no funcionamento do metabolismo basal, mantém ativo, assim a queima de gorduras é continua e eficiente. Portanto, o alcaçuz emagrece e ainda pode auxiliar no controle do colesterol.

O emagrecimento pode ser efetivo e progressivo, porque o alcaçuz reduz os desconfortos abdominais e mantém o funcionamento regular do intestino, o que beneficia a eliminação de toxinas durante a dieta e desintoxica seu organismo. Também pode ser favorecido pelos efeitos positivos sobre as glândulas suprarrenais.

O chá de alcaçuz

Tomar o chá da raiz de alcaçuz emagrece; ele tem preparo é simples e deve ser utilizado junto a uma dieta equilibrada e funcional para o objetivo almejado.

Você pode misturar em torno de 30 gramas da raiz da planta junto com 1 litro de água. Recomenda-se ferver a planta em torno de 10 minutos. Em seguida apague o fogo e mantenha o chá em um recipiente abafado. Quando quiser, coe e então beba a vontade.

É recomendado tomar uma xícara do chá de alcaçuz em jejum, e uma xícara antes das principais refeições.

Tomar cápsulas de alcaçuz emagrece da mesma forma

Não é uma tarefa fácil encontrar a raiz da planta para preparar o chá. A indústria auxilia nessa dificuldade, e então oferece a versão do alcaçuz em cápsulas naturais. Elas são vendidas em frascos com 60 unidades e que devem ser consumidas em torno de 30 minutos antes das refeições. As cápsulas contêm quantidades concentradas de Glicirrizina glabra L.

O produto pode ser adquirido em lojas de suplementos e produtos naturais. Há sites que disponibilizam a venda online, mas é importante buscar indicações e avaliações médicas para a adoção do produto em sua alimentação. Essa versão da raiz da planta é ideal para quem busca o alcaçuz para emagrecer. O preço varia de R$ 30,00 até R$ 72,00. O valor se adequa à quantidade de cápsulas oferecidas de acordo com os fabricantes e distribuidores.

Contra indicações

A eficiência do alcaçuz para emagrecer é importante, mas deve-se atentar para o seu efeito laxativo e ao uso excessivo, pois pode resultar em retenção de líquidos e na eliminação de Potássio. Portadores de doenças renais, hipertensos e gestantes devem evitar o consumo da raiz da planta. Deve-se ter cuidado com o aumento da pressão arterial.

Emagreça e mude os hábitos

Não é apenas adotando o alcaçuz para emagrecer que você vai atingir seus objetivos. É fundamental que você concilie a utilização do chá com uma dieta equilibrada. O chá auxilia na eliminação das toxinas, então é importante que você consuma alimentos saudáveis para manter o corpo em equilíbrio.

O alcaçuz emagrece por auxilia na continuidade de um metabolismo ativo, o que intensifica a queima de gorduras, exercícios aeróbicos e musculação também podem intensificar esse beneficio oferecido pela planta. Mas não basta apenas a adoção do alcaçuz no plano alimentar, deve-se priorizar as metas determinadas e manter-se firme para reduzir as medidas.

Não só são recomendados cuidados para a redução de peso, mas destacamos o pós-emagrecimento. Manter o peso conquistado não é uma tarefa fácil, e o alcaçuz proporciona continuidade para esse processo.

Gastrite nervosa – O que é, Sintomas e Remédios mais recomendados

A gastrite nervosa é uma doença caracterizada por sintomas semelhantes aos da gastrite tradicional, mas sua causa é diferente. Enquanto esta é causada por uma inflamação no estômago, a nervosa por sua vez, é ocasionada pela mesma situação: a inflamação das paredes estomacais por influência ou não da bactéria Helicobacter pylori. A diferença, é que a nervosa é mais influenciada pelos fatores psico-sociais.

O diagnóstico geralmente é feito baseado na análise dos sintomas e uso de alguns exames como a endoscopia para analisar se não há outros problemas ou danos na parede estomacal.

Sintomas da gastrite nervosa

Os sintomas da gastrite e da gastrite nervosa são, basicamente, os mesmos. Entre eles, estão:

  • Dor de estômago aguda;
  • Azia;
  • Dificuldade de digestão;
  • Arrotos frequentes;
  • Dores abdominais;
  • Inchaço abdominal;
  • Sensação de saciedade, mesmo tendo comido pouco;
  • Mal-estar;
  • Perda de apetite.

A gastrite nervosa também pode provocar a perda de peso, como consequência de alguns de seus sintomas, por exemplo, perda de apetite e vômitos. É importante lembrar que essa perda não é saudável, por isso, é preciso tratar o problema.

Causas

A gastrite nervosa é causada por questões emocionais ou psicológicas, como estresse, ansiedade ou situações de nervosismo excessivo. Quando se passa por problemas relacionados ao emocional, o organismo acaba produzindo uma quantidade maior de ácidos estomacais, provocando o problema. É por isso que os sintomas são muito semelhantes, mesmo causas diferentes.

Pessoas diagnosticadas com transtornos de ansiedade, possuem hipertensão ou depressão são mais propensas ao desenvolvimento da doença.

Tratamentos para gastrite nervosa

Existem diferentes tratamentos para a gastrite nervosa, que vão desde medicamentos antiácidos até tratamentos psicológicos. Os antiácidos são muito eficientes, pois eles diminuem a produção de ácidos no estômago, equilibrando a acidez e aliviando os sintomas. É importante que a medicação e a forma de uso sejam sempre indicadas pelo médico.

Porém, o uso de remédios vai apenas tratar a doença momentaneamente. Se as questões emocionais que estão causando o problema não forem tratadas, as chances da gastrite nervosa tornar-se recorrente são muito grandes. Por isso, é fundamental procurar a ajuda de um psicólogo, para tratar o estresse e a ansiedade, ou realizar atividades que lhe proporcionem relaxamento e bem-estar.

Ainda, existem algumas opções de terapia alternativa, que podem ser usadas juntamente com os tratamentos médico e psicológico. Entre elas estão a meditação e os chás calmantes, que podem ajudar a manter o emocional equilibrado.

Remédios mais recomendados:

  • Omeprazol;
  • Hidróxido de magnésio;
  • Hidróxido de alumínio;
  • Ranitidina;
  • Cimetidina.

Alimentos que devem ser evitados

Mesmo a causa da gastrite nervosa não estar diretamente ligada à alimentação, é importante cortar alguns alimentos e incluir outros em seu cardápio diário. Dessa forma, o tratamento da doença será mais rápido e eficiente.

Evite alimentos muito gordurosos ou de difícil digestão, além daqueles muito ácidos e outros, como:

  • Carne vermelha (especialmente as mais gordurosas, como linguiça e bacon);
  • Alimentos embutidos (salsicha, presuntoetc);
  • Frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi, kiwietc);
  • Fritura;
  • Pimenta;
  • Cafeína (café, refrigerante, chocolateetc);
  • Bebidas alcoólicas;
  • Temperos e molhos industrializados.

Além disso, evite o consumo de líquidos durante as refeições e não fique mais que três horas sem comer. Por fim, inclua em sua alimentação os alimentos que possuem efeito calmante e que vão ajudar o seu estômago a recuperar-se. Entre eles estão as frutas de baixa acidez, as carnes magras e os temperos naturais. Ainda, beber muita água (fora do horário das refeições) é fundamental para o bom funcionamento do organismo.

Para compreender melhor sobre as diferenças entre a gastrite nervosa e a comum confira também o conteúdo sobre gastrite: causas e tratamentos. 

Referências

SOCIEDADE DE PATOLOGIA DO TOCANTIS. O mito da gastrite nervosa. Disponível em <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/patologia/article/view/3363/9556> 2017